VALE UM RABO RASGADO, EU QUERO ESSES PUTOS NA CADEIA: 75 vizinhos de barragens da Vale de Nova Lima e de Ouro Preto também serão retirados de suas casas

Compartilhe nas suas redes sociais!

Cinco estruturas fazem parte das barragens da empresa do tipo “alteamento a montante”

A Vale comunicou nesta quarta-feira (20) que vai retirar cerca de 75 pessoas que vivem próximas a cinco barragens localizadas em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais.

As barragens são: Vargem Grande, Forquilha I, Forquilha II, Forquilha III e Grupo. As estruturas fazem parte das 10 barragens da Vale do tipo “alteamento a montante” e segundo a empresa, as estruturas já estão inativas (Leia os comunicados completos da mineradora abaixo da reportagem).

Veja onde estão as 10 barragens que a Vale promete eliminar
Entenda como funcionam as barragens por alteamento a montante
Descomissionamento: conheça o processo para acabar com barragens iguais às de Mariana e Brumadinho

De acordo com a empresa, em Nova Lima, a remoção atinge 19 casas, com cerca de 60 pessoas, que ficam a 52 quilômetros da sede da cidade. Em Ouro Preto, a remoção abrange cinco casas, com cerca de 15 pessoas, a aproximadamente 15 quilômetros da localidade de Engenheiro Correia.
Posto de comando montado nas proximidades da mina de Vargem Grande, em Nova Lima.

Segundo o tenente coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil Estadual, todas as pessoas devem ser levadas a hotéis nas cidades de Nova Lima e Ouro Preto. Ele ainda confirmou que a Defesa Civil participa de uma reunião de alinhamento com a mineradora na Mina do Mutuca, em Nova Lima. A empresa vai repassar informações das duas cidades e em seguida, a Defesa Civil participaria de uma coletiva de imprensa com a empresa, que acabou cancelada.

Segundo a companhia, a produção da mina Fábrica, em Ouro Preto, será mantida através do processamento a seco, que não utiliza barragens para depósito de rejeitos. A empresa ainda afirma que “que não houve alteração nos parâmetros geotécnicos de nenhuma das estruturas, que estão passando por inspeções diariamente. A Vale ressalta ainda que se trata de uma medida preventiva para viabilizar a aceleração dos projetos, para que a empresa obtenha as autorizações para dar início às atividades de descaracterização.”

VIA PORRA GLOBO.COM


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe nas suas redes sociais!