O PT continua o mesmo. Entre os 62 deputados e senadores eleitos, 30 são investigados ou réus

Compartilhe essa notícia!

Um levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo envolve casos em andamento nos Tribunais de Justiça dos Estados, na Justiça Federal, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal revelou que um terço do dos parlamentares eleitos em outubro são alvos de investigações ou réus.

Segundo o levantamento, o PT é o partido com o maior número de envolvidos em investigações e ações penais. Entre os seus 62 eleitos, 30 são investigados ou réus, como é o caso da presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, alvo da Lava Jato. A ex-prefeita de Fortaleza Luizianne Lins (PT-CE) é uma das recordistas. Ela é alvo de processos por improbidade na Justiça do Ceará e no STJ. Sua defesa alega inocência. Nem mesmo o PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, escapou do pente fino. Dos 56 congressistas eleitos, 7 estão na mira da Justiça.


No total, aponta o levantamento, um terço do novo Congresso é acusado de crimes como corrupção, lavagem, assédio sexual e estelionato ou é réu em ações por improbidade administrativa com dano ao erário ou enriquecimento ilícito. São nada menos que 160 deputados e 38 senadores, cujos mandatos terão início em janeiro de 2019.

Com informações da Gazeta do Povo

Compartilhe essa notícia!