O COMEDIANTE: Presidente da CBF pede a Fifa que prepare a taça para o Brasil. ‘Quero levantar a taça’, diz coronel Nunes

Compartilhe nas suas redes sociais!

Presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), o coronel aposentado da Polícia Militar Antônio Carlos Nunes, 80, já está na Rússia e demonstra muita confiança no hexa.

Nesta segunda-feira (11), ele participou de reunião do Conselho Conmebol na capital russa, que contou com a presença do presidente da Fifa, Gianni Infantino, e mandou um recado: “Eu disse ao Infantino que ele pode preparar a taça para o Brasil.

Quero levantar a taça”, disse Nunes, num rápido bate-papo com os jornalistas.

Ele também deu uma alfinetada na Áustria e nos zagueiros que foram violentos com Neymar na vitória da seleção por 3 a 0 em amistoso no domingo (10), em Viena. “A Áustria achou que iria fazer frente, porque ganhou da Alemanha [2 a 1]. Mas não deu para a saída. O zagueiro está procurando Neymar até agora.”

Nunes viajará agora para Sochi, onde nesta terça (12) terá um encontro com a seleção brasileira e posará para foto oficial. Lá também estará Rogério Caboclo, que assumirá a presidência da entidade no próximo ano. Caboclo é chefe da delegação no Mundial e já está na cidade litorânea que é a casa da equipe nacional.

Depois, Nunes voltará a Moscou para participar do Congresso da Fifa nesta quarta (13). A reunião definirá a sede da Copa de 2026. Nunes, como integrante do Conmebol, votará na candidatura United-2026, composta por Canadá, EUA e México. O Marrocos é o outro concorrente.
O presidente da CBF também confirmou informação dada pela Conmebol de apoio unânime a Infantino na eleição da Fifa de 2019.

Nunes comanda a CBF desde 15 de dezembro de 2017, quando Marco Polo del Nero recebeu da Fifa suspensão provisória de 90 dias.
Em 27 de abril, a entidade o baniu definitivamente do futebol após considerá-lo culpado de corrupção por receber propina na venda de direitos de transmissões. Além disso, foi multado em 1 milhão de francos suíços (R$ 3,5 milhões na cotação da época).

Del Nero não viaja para fora do país desde 2015, quando eclodiu o escândalo de corrupção na Fifa. Por isso, o Brasil não teve seu principal dirigente no sorteio dos grupos da Copa, em 1º de dezembro.


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe nas suas redes sociais!