O “amigo do amigo do meu pai” não tem mais a mínima condição de presidir o STF (Veja o Vídeo)

Compartilhe nas suas redes sociais!

A atitude mais sensata no presente momento é afastar o ministro Dias Toffoli da presidência do Supremo Tribunal Federal.

Não tenho a menor ideia de qual seria o procedimento legal e adequado, mas não vislumbro outra solução.

Tudo leva a crer que ele realmente participou na condição de Advogado Geral da União do esquema de propina da Construtora Odebrecht.

Aliás, lamentavelmente a nossa Corte Suprema está totalmente contaminada. A CPI da Toga é uma necessidade.

Gilmar Mendes, com mais de uma dezena de pedidos de impeachment, continua na sua cruzada insana pela liberdade dos criminosos do ‘colarinho branco’.

A bem da verdade, o estado brasileiro está totalmente aparelhado, resultado de tantos anos de governos que tinham intenções maléficas, nada republicanas.

O país está praticamente ingovernável.

Esta semana o presidente Jair Bolsonaro determinou a retirada de 8000 radares eletrônicos das rodovias federais. Uma juíza de 1ª instância da Justiça Federal de Brasília proibiu a retirada dos radares.

Como se governa um país dessa forma?

Voltando ao ministro Dias Toffoli, no vídeo abaixo o jornalista Felipe Moura Brasil faz um retrospecto de sua atuação no STF.

Ao final, Augusto Nunes arremata:

“Ele continua advogado do PT”.

Veja o vídeo:

Otto Dantas
Jornal da Cidade Online


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe nas suas redes sociais!