Em sessão solene, jornalistas disseminam Fake News contra Bolsonaro e até Janot cai como “pato”

Compartilhe essa notícia!

Misteriosamente, alguns jornalistas estão usando as redes sociais para reclamar de um suposto “veto” para que entrassem no Plenário da Câmara dos Deputados durante a Sessão Solene em comemoração aos 30 anos da Constituição da República Federativa do Brasil na última terça-feira, 06 de novembro.


O objetivo dessa turma é dizer que foi o Presidente eleito, Jair Bolsonaro, quem determinou essa “censura” aos profissionais de imprensa. Até o ex-Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, caiu na esparrela e deitou falação.

 

Então, é hora de expor a VERDADE. Nenhum jornalista foi “proibido” de entrar no Plenário. E todos os profissionais de imprensa que atuam em Brasília sabem muito bem disso.

Desde 2013, há um Protocolo Oficial que regula os eventos realizados no Congresso Nacional, minuciosamente elaborado e publicado em forma de Manual pela Coordenação de Relações Públicas da Secretaria de Comunicação Social do Senado Federal. A quem interessar a leitura, segue o link para baixar o Manual:

http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/496347

Temos, a partir da página 65 do supramencionado Manual, toda a regulamentação para os Eventos Protocolares do Poder Legislativo, inclusive e especialmente para as Sessões Solenes do Congresso Nacional (conjuntas do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, sempre realizadas no Plenário da Câmara) com a presença de Chefes de Estado.

No caso acima, o acesso ao Plenário é restrito. Não apenas a jornalistas, mas a toda e qualquer pessoa para além dos Parlamentares e autoridades convidadas. Simples assim.

A geração de imagens fica a cargo da TV Senado e da TV Câmara, como está descrito, com clareza meridiana, à página 71 do Manual, ipsis litteris:

“Imagens são cedidas pela TV Senado e pela TV Câmara para os veículos de comunicação interessados na cobertura do evento. O sinal é gerado pela Casa onde a sessão é realizada (Plenário da Câmara) e disponibilizado via satélite para qualquer outra emissora (sinal não codificado), desde que o conteúdo não tenha caráter comercial.”

Por fim, cumpre esclarecer que, guardada toda merecida deferência a Jair Messias Bolsonaro, a restrição imposta pela Sessão Solene com presença de Chefe de Estado não se deve ao Presidente eleito, que ainda não foi diplomado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e não tomou posse. O Chefe de Estado em questão é o atual Presidente da República, Michel Temer, que compunha o Dispositivo de Honra da solenidade.

Apesar do textão chato, fiz-me claro? Porque é importante ter conhecimento desses detalhes para não passar vergonha por aí vendendo Fake News até para o ex-poderoso-chefão da Procuradoria-Geral da República. Aliás, espanta que ele desconheça esses Protocolos.

Enfim… a vida agora é assim: um balaio de jararacas por dia!

Sigamos em frente!

Fonte: Jornal da Cidade Online

Compartilhe essa notícia!