Desembargador que tentou soltar Lula é petista e será acionado judicialmente por descumprir a lei

Compartilhe essa notícia!

O petista travestido de desembargador Rogério Favreto acatou ilegalmente um habeas corpus apresentado na sexta (6) pelos deputados petistas Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira pedindo que Lula fosse libertado imediatamente por “falta de fundamento jurídico”.

Rapidamente Sergio Moro impediu o golpe e manteve Lula preso.

Rogério Favreto filiou-se ao PT em 1991. Quando Tarso Genro se elegeu prefeito de Porto Alegre, Favreto foi alçado ao cargo de Procurador-Geral da prefeitura da capital gaúcha.

Em 2005, ganhou um gabinete na Casa Civil do governo Lula. Já em 2007, novamente graças a Tarso Genro, Favreto assumiu o comando da Secretaria da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, onde ficou até 2010, quando deixou o cargo e o PT.

Entretanto, Favreto continuou a serviço do partido no Judiciário. Em 2011, ele foi promovido a magistrado por Dilma Rousseff, se tornando um dos juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Como cabe ao TRF-4 revisar as decisões da Justiça Federal em Curitiba, Rogério Favreto atira em tudo que ameace o PT e seu chefe supremo.

Ele foi o único a votar pela abertura de processo disciplinar contra Sérgio Moro por “índole política”.

É o único a discordar sistematicamente de tudo o que o juiz da Lava Jato faz, diz ou pensa.

É também o único a desaprovar todos os procedimentos adotados pela força-tarefa do Ministério Público Federal que age na Lava Jato.

O Movimento Brasil Livre por meio de seu coordenador jurídico Rubens Nunes afirmou que irá entrar com ação contra o desembargador petista.

O Desembargador descumpriu a lei ao contrariar decisão do colegiado e do Supremo Tribunal Federal. Magistrados plantonistas não podem tomar tal atitude e ele responderá pelos seus atos.


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe essa notícia!