CUBA QUEBROU: Fim do programa “Mais Médicos” deixa rombo de R$ 1,1 bilhão por ano, valor superior a todas as exportações anuais de charutos

Compartilhe essa notícia!

O prejuízo bilionário da saída do Mais Médicos para a ‘medicina de exportação’ de Cuba
Economista cubano estima que país deve perder mais de R$ 1,1 bilhão por ano, valor superior a todas as exportações anuais de charutos da ilha caribenha, que sofre com novo arrocho dos EUA. Saída do Mais Médicos foi anunciada após críticas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

A saída de Cuba do programa Mais Médicos, recém-anunciada pelo governo cubano em resposta a críticas feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, vai representar um importante baque nas exportações de serviços de saúde da ilha socialista – sua principal fonte de renda internacional.

Bem mais lucrativo que a exportação de produtos produzidos na ilha, como açúcar, tabaco, rum ou níquel, o envio de profissionais de saúde para o exterior responde por 11 bilhões de dólares dos 14 bilhões de dólares que Havana arrecada por ano com exportações de bens e serviços, segundo dados da Organização Mundial do Comércio e da imprensa estatal cubana.

Com o fim do acordo selado na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2013, o regime cubano deve perder 332 milhões de dólares (ou mais de R$ 1,1 bilhão) por ano. O valor supera as exportações de charutos (259 milhões de dólares por ano, segundo o Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e cria mais um desafio econômico para o país, que há 56 anos sofre um duro embargo comercial dos Estados Unidos.

A estimativa do prejuízo é do economista cubano Mauricio De Miranda Parrondo, professor titular da Pontifícia Universidade Javeriana de Cali, na Colômbia.

Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2018/11/17/o-prejuizo-bilionario-da-saida-do-mais-medicos-para-a-medicina-de-exportacao-de-cuba.ghtml


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe essa notícia!