BOM EXEMPLO PARA O BRASIL: Casa Branca suspende credencial de jornalista da CNN que discutiu com Trump

Compartilhe essa notícia!

Associação de jornalistas considerou ‘inaceitável’ a medida tomada pelo Executivo americano. CNN considerou que ‘ataques à imprensa foram longe demais’.

Casa Branca anunciou nesta quarta-feira (7) a suspensão da credencial do jornalista da rede CNN Jim Acosta, que discutiu com o presidente americano, Donald Trump, durante uma coletiva de imprensa.


Na entrevista, Trump respondeu Acosta de forma enérgica quando foi perguntado sobre a caravana de latino-americanos que se aproximava dos EUA e depois sobre a investigação de suposto conluio com a Rússia para influenciar a eleição de 2016.

Segundo comunicado da porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, o jornalista “colocou as mãos” na mulher que tentava tirar seu microfone.

“O presidente Trump acredita na liberdade de imprensa e espera que façam perguntas difíceis a ele e a seu governo. No entanto, nunca vamos tolerar um jornalista que ponha as mãos em cima de uma mulher jovem que simplesmente tenta fazer seu trabalho como estagiária na Casa Branca”, diz a nota.

Uma associação que representa os jornalistas que cobrem a Casa Branca considerou inaceitável a medida tomada pelo Executivo americano.

“A Associação de Correspondentes da Casa Branca se opõe fortemente à decisão da administração Trump de usar credenciais de segurança do serviço secreto dos Estados Unidos como uma ferramenta para punir um repórter com quem tem um relacionamento difícil”, reagiu o grupo em um comunicado.

“Exortamos a Casa Branca a reverter imediatamente esta ação frágil e equivocada”, acrescentou.

online:

Participe dos debates no grupo!

Compartilhe essa notícia!