Bolsonaro põe fim a “mamata” de Evo e impõe R$ 133 milhões de multa por descumprimento contratual

Compartilhe nas suas redes sociais!

Os ‘anos dourados’ de Evo Morales definitivamente acabaram e o aperto vem de todos os lados.

Macri, na Argentina, reforçou a presença das Forças Armadas na fronteira para evitar a entrada de drogas.

Sebastián Piñera, no Chile, tem sido implacável. Venceu Morales no Tribunal de Haia sobre uma saída boliviana para o mar e deflagrou o combate às drogas, impedindo a entrada no território chileno, o que afeta diretamente os interesses de Evo.

Bolsonaro, por sua vez, não obstante o índio cocaleiro tê-lo tratado como “irmão” na sua posse, não vai dar moleza. A Petrobras acaba de cobrar uma multa de 133 milhões de dólares da estatal boliviana YPFB, por mandar menos gás natural do que o contrato entre os dois países exige. A ordem é que a empresa brasileira não mais aceite qualquer descumprimento contratual e cobre as multas devidas.

Com isso, a quarta reeleição de Evo pode se complicar.

Jornal da Cidade Online


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Compartilhe nas suas redes sociais!